Política em Cuba é coisa do povo!

Por aqui se ouve muito dizer, pela mídia, ou por pessoas-que-conhecem-pessoas-que-foram-para-Cuba, que o país vive sob uma cruel ditadura. Dizem que lá a política é coisa exclusiva para os altos membros do Partido Comunista Cubano, que para os demais resta o silêncio e o conformismo. Dizem que as pessoas têm medo de falar sobre o regime por temerem represálias… Dizem muitas coisas. Vou dizer também. Mas não o que ouvi, vou dizer o que vi da política em Cuba.

Comitês de Defesa da Revolução

Foto: Alexandre HaubrichOs Comitês de Defesa da Revolução (CDR’s) são o que o nome já diz. No entanto, engana-se quem possa pensar que os CDR’s são organizações militares de defesa armada da Revolução, não que eles não estejam prontos e dispostos a fazer isso se for preciso. Os Comitês de Defesa da Revolução são, na verdade, organizações políticas onde a defesa da revolução acontece no campo das ideias e da participação.

Precisamente, os CDR’s são organizações que estão em cada quarteirão de cada bairro de cada município de cada província do país, e dele fazem parte todos os moradores da quadra que tenham mais de 14 anos e que desejem participar. É função do CDR, por exemplo, deliberar sobre as necessidades da comunidade, vigiar para que não haja crianças sem estudar ou adultos sem trabalhar, escolher o candidato que vai representar a comunidade nas eleições.

Foto: Alexandre Haubrich

Os CDR’s são a instância do sistema político cubano onde a população participa diretamente e, de fato, existe uma grande participação. Andando por Havana, diversas vezes pude presenciar reuniões desses Comitês, na rua mesmo, em frente à casa do presidente do CDR. Existe a consciência de que o poder está nas mãos do povo, e o povo usa o poder que tem. Nas reuniões por que passei havia sempre cerca de 30, 40 pessoas, desde jovens até idosos. Esse é o número de pessoas que estavam participando da reunião do CDR da sua quadra, agora, imagine a expressividade da participação popular se multiplicarmos isso pelo número de quarteirões de Cuba…

Eleições

Sim, existe eleição em Cuba. E eu tive o privilégio de acompanhar o pleito do dia 03 de fevereiro, quando foram eleitos os 612 membros da Assembleia Nacional do Poder Popular e os mais de 1200 membros das Assembleias Provinciais.

IMG_4977O processo eleitoral cubano é realmente muito diferente do que acontece no Brasil, a começar pelo lançamento das candidaturas. Uma pessoa não pode se autoproclamar candidata, ela deve receber tal indicação da sua comunidade. São os membros dos CDR’s, portanto, que escolhem os candidatos que, mais tarde, serão votados nas eleições.  Um detalhe muito importante é que não é preciso ser membro do Partido Comunista Cubano para ser aclamado candidato, basta ser maior de 16 anos e que essa seja a vontade de seus vizinhos; logo, se a oposição não consegue ter candidatos não é porque não possa, mas porque os opositores do regime, que de fato existem, são uma minoria e não são escolhidos como candidatos pela maioria revolucionária do povo.

IMG_4956Outro ponto fundamental é a campanha eleitoral. Ela é simplesmente a mesma para todos os candidatos. Não existem cavaletes nas ruas, santinhos no chão, propaganda em rádio e TV… O que existe é o currículo dos candidatos, meramente. O que importa não é o candidato com a campanha mais cara, mais bonita, com as promessas mais mirabolantes, importa quem é o candidato. Por isso, ficam espalhados pela cidade, em prédios públicos, escolas, mercados, CDR’s, murais com o perfil de todos os candidatos, com: nome, idade, escolaridade (a grande maioria com nível superior), ocupação e um pequeno histórico pessoal e político. Simples, assim, é a campanha eleitoral.

IMG_5089Quanto às eleições que acompanhei, visitei três colégios eleitorais, dois em Caimito e um em Guayabal de Caimito. Nos três locais foi tudo muito tranquilo, chegamos, nos identificamos (estávamos em um grupo de quatro brasileiros), perguntamos sobre como funcionavam as eleições, quais eram os cargos em disputa… Acompanhamos as eleições sem nenhuma burocracia, nos explicaram o processo, nos mostraram as cédulas, os locais fechados aonde os eleitores vão para anotar seu voto, as urnas.

IMG_5097Nessas cédulas estão os nomes de todos os candidatos, e os votantes optam por um ou por todos. Nas eleições de 03 de fevereiro, como havia dois cargos em disputa, eram duas cédulas, cada uma depositada em uma urna diferente. As urnas são guardadas por crianças do primeiro ao nono ano, chamadas de Pioneiros de José Martí, que participam das eleições de forma voluntária. Além disso, os colégios eleitorais são responsáveis por buscar os votos de idosos e pessoas com dificuldades de locomoção. Os candidatos são eleitos mediante a maioria dos votos e podem ter seus mandatos revogados pelo povo a qualquer momento.

muralA política é realmente uma constante na vida dos cubanos, e ela está presente nas ruas: através de murais, cartazes, prédios pintados com temáticas e lemas da Revolução. Fora isso, além dos CDR’s, existe muitas outras organizações populares de que eles podem fazer parte, como é o caso da UJC, União de Jovens Comunistas; CTC, Central de Trabalhadores de Cuba e a FMC, Federação de Mulheres Cubanas.

Anúncios
Esse post foi publicado em Cuba e marcado , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

6 respostas para Política em Cuba é coisa do povo!

  1. Pingback: Sul 21 » Política em Cuba é coisa do povo!

  2. Juarez Fuão disse:

    Parabéns pelo teu blog! Ele presta um serviço de informação muito importante para todos aqueles que buscam fugir da grande mídia (des)informadora. Abraço!

  3. Fernando disse:

    Bruna, gostaria de deixar um registro em seu blog. Eu e minha companheira, Juliane, estivemos em Cuba durante as duas primeiras semanas de fevereiro. Ao contrário de sua experiência, fomos à turismo exclusivamente. Mas creio termos impressões semelhantes sobre muitas coisas. Fizemos alguns diários de viagem que, por conta da volta à rotina, ainda não conseguimos sentar para organizar para publicação. Parabéns pelo blog e, se desejar manter contato conosco, deixo aqui meu e-mail como solicitado no formulário dos comentários.
    Abraços!

  4. Valdson Cleto disse:

    Muito legal saber sobre Cuba através de quem foi lá e viu com os próprios olhos! Obrigado por compartilhar o que vc viu em sua viagem!

    O que eu achei interessante observar no que vc descreveu nesse texto é o problema do voto distrital. Muita gente por aqui defende o voto distrital e boa parte desses que defendem o voto distrital falam mal do sistema político de Cuba, que lá seria uma ditadura dominada pelo Partido Comunista e tal. Interessante saber que esse domínio do Partido Comunista se deve ao voto distrital! O problema do voto distrital é exatamente esse, é que os diferentes posicionamentos políticos estão distribuidos geograficamente, não estão concentrados. Então, se, por exemplo, 30% da população cubana for contra a revolução e o partido comunista, esses 30% deveriam estar representados no parlamento. Mas eles não estarão representados, porque esses 30% não estão concentrados em 30% dos distritos, eles estão distribuidos em todos os distritos e não são maioria em nenhum desses distritos. O voto distrital acaba com a representação das minorias, acaba com qualquer proporcionalidade na representatividade dos diferentes posicionamentos políticos entre os candidatos eleitos.

    Vou tentar acompanhar o blog!
    Abraços!

  5. jardel Lopes disse:

    Realmente, fabuloso esta mensagem descrita por vocês. Simples, clara e objetiva. E conseguiram descrever um dos processos eleitorais mais fantásticos que tive tbém oportunidade de participar. Estava em Havana no dia 03 e lá tive então a chance de fotografar, conversar e ver a mobilização do povo na rua.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s